Tudo.ao.mesmo.tempo.agora

Posts Tagged ‘romance

Ah, o amor…

Assunto tão presente em Lost – principalmente quando eles indicaram que o amor é a chave de tudo nos flashsideways – que sempre gerou discussões polêmicas e por vezes até brigas internet a fora. Em uma série cercada de mistérios e com uma mitologia tão complexa, pensa-se que os fãs talvez não ligassem para os triângulos, retângulos e sei lá quantos outros polígonos amorosos.

Mas não é que o romance na série, além de ser uma parte intrínseca da trama, tem uma fanbase fervorosa?

E quando eu digo fervorosa, eu quero dizer muito MESMO. Acho que fervorosa aqui funciona como apenas um eufemismo. Eu já participei de diversos fandoms nos últimos dez anos. Sou shipper (que torce por um casal específico) assumida, mas eu nunca vi tanta dedicação a uma causa como eu tenho visto nestes últimos seis anos que eu tenho participado do Lost fandom. Existe até uma shipwar! E sim, isso quer dizer guerra entre shippers.

Em sua maioria meninas, estas fãs dedicam-se a escrever fanfics, fazer vídeos, fanart e, é claro, apontar – para quem estiver disposto a ouvir – porque que o casal que elas torcem faz mais sentido que o rival.

Em Lost, nós tivemos diversos casais e outros muitos que os fãs sonharam um dia que iam ficar juntos e que nunca aconteceram.

O objetivo deste post é fazer um TOP 5 dos casais de Lost. TOP 5 porque se eu fosse listar todos os casais da série eu ia ficar aqui até amanhã. Nunca vi povo que gosta tanto de trocar de parceiros num mesmo grupo. O polígono amoroso que o diga.

Começaremos pelo casal mais épico da série, aquele que eu acredito que é a verdadeira história de amor de Lost. Não vou contar a história toda em detalhes, senão o post vai ficar gigantesco. Vamos cobrir aqui apenas os pontos mais importantes, ok?

Desmond e Penny

Nosso casal escocês preferido se conheceu no dia em que Desmond desistiu de ser um monge. Penny havia ido buscar um carregamento de vinho no monastério e Desmond a ajudou a carregar as caixas com as garrafas de vinho. Rolou aquele clima e eles começaram a namorar. O único problema era que o pai de Penny é ninguém menos que Charles Widmore e não aprovava do romance de jeito nenhum. Depois de estarem quase noivos, Penny e Desmond acabam se separando. Ele resolve participar de uma corrida de veleiros ao redor do mundo (patrocinada por Widmore) e durante uma tempestade acaba na ilha, onde é resgatado por um homem que se identifica como Kelvin e sua função é apertar o fatídico botão na Estação Cisne.

Resumindo a história, Desmond foi tecnicamente o responsável pela queda do avião e depois de conhecer os sobreviventes no início da segunda temporada, ele foge. No entanto, ele não consegue sair da ilha e fica dias navegando em círculos. Eventualmente ele se junta aos Losties e finalmente consegue um contato com Penny no melhor episódio EVER da série: The Constant.

Pois bem, após este contato, Penny consegue localizá-lo e o resgata junto com Jack, Kate, Sun, Sayid, Hurley e Aaron. De volta à realidade, Penny e Desmond vão viver juntos, tem um filho (Charlie) e são felizes até que a ilha resolve interferir com a vida deles de novo e Desmond é levado de volta para lá por Widmore.

Eu realmente torço por um final feliz para eles. Depois de tanto sofrimento, eles merecem.

 

Sun e Jin

O casal coreano começou mal na série. Quando o avião caiu, Sun estava lidando com um marido autoritário e tentava fugir dele. No entanto, antes de todo o drama da ilha acontecer, Jin era apenas um filho de pescador e Sun era herdeira de uma fortuna, já que seu pai era dono de uma multinacional (e assassino nas horas vagas). Eles se conheceram, se apaixonaram e resolveram se casar. Depois do casamento, Jin começa a trabalhar para o pai de Sun, que o manda fazer o trabalho sujo da empresa (matar e/ou dar porrada em pessoas que desafiam o Sr. Paik.

Na ilha, as coisas aos poucos vão se ajeitando para os dois – lógico que com muitos altos e baixos e situações perigosas. Mas na segunda temporada, Sun descobre que está grávida e por isso, quando o cargueiro de Widmore supostamente os resgata, ela é uma das primeiras a bordo com Jin. Só que quando o cargueiro explode, Jin fica para atrás e Sun acredita que ele está morto. Após o resgate, Sun se torna sócia da empresa do pai e tem uma filha: Ji Yeon.

Na 5ª temporada, Sun volta à ilha (depois que Ben lhe diz que Jin está vivo). Depois de muitos desencontros, com direito a viagens no tempo, bombas de hidrogênio explodindo, entre outras coisas, Sun e Jin finalmente se reencontram na 6ª temporada. Mas foi apenas para morrerem juntos, pois quando os Losties tentam sair da ilha no submarino de Widmore, tudo dá errado quando uma bomba explode e Sun fica presa no sub que está rapidamente enchendo de água. A morte deles a la Titanic foi muito triste.

Charlie e Claire

O romance fofo da série ficou por conta do rockstar drogado Charlie Pace e a grávida australiana Claire Littleton. A história deles foi repleta de momentos bonitinhos, mas teve vida curta, pois Charlie se sacrificou para resgatá-los.

 

Jack e Kate

A eterna batalha entre jaters e skaters…

Eu sou skater assumida e realmente não suporto Jate. Aliás, acho que eles têm uma química equivalente a duas portas. Mas vou tentar deixar a minha animosidade de lado e contar um pouco da história deles.

Eles se conheceram depois da queda do avião, quando Kate ajudou a dar pontos no ferimento de Jack. Foram quatro temporadas de chove-não-molha (teve aquele beijo na segunda temporada que eu prefiro ignorar. A Kate saiu correndo depois. Desculpa, Jack, acho que você precisa treinar na laranja ou com o cubo de gelo mais um pouquinho, hein?) até que, após o resgate e absolvição de Kate, os dois começam um romance e até ficam noivos. No entanto, Kate não consegue esquecer Sawyer e também esconde de Jack o que Sawyer lhe pediu para fazer antes de pular do helicóptero. O bom doutor (a essa altura bêbado e viciado em remédios) não suporta a barra e Kate o expulsa de casa.

Na 5ª temporada eles voltam para a ilha e as coisas estão meio indefinidas entre eles. Eu realmente espero que eles NÃO terminem juntos. Sorry, Jaters.

 

Kate e Sawyer

Eu posso ficar um dia inteiro listando todos os motivos porque eles são o melhor casal e porque a Kate deve ficar com o Sawyer. Mas podem ficar tranqüilos, eu não vou submeter vocês a esta tortura.

Acho que o que faz este casal funcionar – além das coisas em comum, infância ruim, histórias trágicas e vida no crime – é a química absurda que a Evangeline Lilly e o Josh Holloway tem. É simples assim. Talvez se fossem atores diferentes, Sawyer e Kate não teriam tanto appeal assim.

Mas enfim, tudo começa na primeira temporada, quando Sawyer chantageia Kate e diz que só vai devolver o remédio de Shannon se ela der um beijo nele. A partir daí, eles ficam naquele vai-não-vai, com aquele clima sempre presente. Nesse meio tempo, eles desenvolvem uma amizade bem legal até por terem histórias parecidas. Finalmente na terceira temporada, quando são seqüestrados pelos Outros, eles ficam juntos. Daí quando você pensa que a Kate finalmente fez a sua escolha, eles brigam daí se pegam de novo, brigam novamente, se pegam e ficam nesse vai e volta até o Sawyer pular do helicóptero para salvar todo mundo.

Aí a Kate é resgatada e o Sawyer fica na ilha. Kate fica com Jack e Sawyer fica com a Juliet até que os Oceanic 6 (menos o Aaron) voltam à ilha e acontece aquele drama todo, a bomba explode, a Juliet morre, Sawyer fica deprimido, enfim… Agora está tudo meio indefinido, mas eu acho que as coisas caminham para um final com eles juntos. Mas isso também pode ser apenas o meu lado skater falando.

Enfim, eu sei que existem muitos outros casais, como Rose e Bernard, Hurley e Libby, até mesmo Sawyer e Juliet, mas acho que eu coloquei os principais aqui. Quais são seus preferidos?

@lucianamangas

Anúncios

A Proposta (The Proposal)

_poster001

A comédia romantica estrelada por Sandra Bulock e Ryan Reynolds tem seus altos e baixos mas promete boas gargalhadas. A Proposta, The Proposal no original,  entrou em cartaz na semana passada e está indo bem nas bilheterias brasileiras.

Margaret Tate (Bullock) é uma chefe durona de uma editora de livros e tem como seu secretário Andrew Paxton (Reynolds). Margaret atormenta a vida de todos seus empregados inclusive de seu secretário Andrew.

Porém, após um probleminha com a imigração americana ela precisa se casar e encontra a solução de seus problemas no personagem de Ryan Reynolds. Em meio a atrapalhadas e risadas o filme vai encontrando o ponto certo da comédia em que Bullock é mestre no gênero.

Minha Opinião: O filme é bacana, dá pra rir bastante. Tem momentos muito divertidos, mas tem horas que você podia esperar mais, principalmente do Ryan Reynolds que tá pouco engraçadinho, o que normalmente ele é até demais.

Pra quem não conhece o Ryan Reynolds eu sugiro que veja dois filmes com ele.  “Blade Trinity” (por favor, deixa eu explicar… o filme não é lá essas coisas, mas o tom de comédia do Ryan é impecável nesse filme) e o outro é “A hora do Rango”, pra quem gosta de besteirol americano esse é perfeito!

Em relação a Sandra Bullock só tenho uma coisa a dizer, que bom que ela está de volta. Bullock ficou alguns anos longe dos filmes e posso dizer que senti saudades da atuação dela. Ela está ótima no filme.


Blog Tudo.ao.mesmo.tempo.agora

Categorias

Mais Avaliados

Blog Stats

  • 29,213 hits