Tudo.ao.mesmo.tempo.agora

Posts Tagged ‘charlie

Ah, o amor…

Assunto tão presente em Lost – principalmente quando eles indicaram que o amor é a chave de tudo nos flashsideways – que sempre gerou discussões polêmicas e por vezes até brigas internet a fora. Em uma série cercada de mistérios e com uma mitologia tão complexa, pensa-se que os fãs talvez não ligassem para os triângulos, retângulos e sei lá quantos outros polígonos amorosos.

Mas não é que o romance na série, além de ser uma parte intrínseca da trama, tem uma fanbase fervorosa?

E quando eu digo fervorosa, eu quero dizer muito MESMO. Acho que fervorosa aqui funciona como apenas um eufemismo. Eu já participei de diversos fandoms nos últimos dez anos. Sou shipper (que torce por um casal específico) assumida, mas eu nunca vi tanta dedicação a uma causa como eu tenho visto nestes últimos seis anos que eu tenho participado do Lost fandom. Existe até uma shipwar! E sim, isso quer dizer guerra entre shippers.

Em sua maioria meninas, estas fãs dedicam-se a escrever fanfics, fazer vídeos, fanart e, é claro, apontar – para quem estiver disposto a ouvir – porque que o casal que elas torcem faz mais sentido que o rival.

Em Lost, nós tivemos diversos casais e outros muitos que os fãs sonharam um dia que iam ficar juntos e que nunca aconteceram.

O objetivo deste post é fazer um TOP 5 dos casais de Lost. TOP 5 porque se eu fosse listar todos os casais da série eu ia ficar aqui até amanhã. Nunca vi povo que gosta tanto de trocar de parceiros num mesmo grupo. O polígono amoroso que o diga.

Começaremos pelo casal mais épico da série, aquele que eu acredito que é a verdadeira história de amor de Lost. Não vou contar a história toda em detalhes, senão o post vai ficar gigantesco. Vamos cobrir aqui apenas os pontos mais importantes, ok?

Desmond e Penny

Nosso casal escocês preferido se conheceu no dia em que Desmond desistiu de ser um monge. Penny havia ido buscar um carregamento de vinho no monastério e Desmond a ajudou a carregar as caixas com as garrafas de vinho. Rolou aquele clima e eles começaram a namorar. O único problema era que o pai de Penny é ninguém menos que Charles Widmore e não aprovava do romance de jeito nenhum. Depois de estarem quase noivos, Penny e Desmond acabam se separando. Ele resolve participar de uma corrida de veleiros ao redor do mundo (patrocinada por Widmore) e durante uma tempestade acaba na ilha, onde é resgatado por um homem que se identifica como Kelvin e sua função é apertar o fatídico botão na Estação Cisne.

Resumindo a história, Desmond foi tecnicamente o responsável pela queda do avião e depois de conhecer os sobreviventes no início da segunda temporada, ele foge. No entanto, ele não consegue sair da ilha e fica dias navegando em círculos. Eventualmente ele se junta aos Losties e finalmente consegue um contato com Penny no melhor episódio EVER da série: The Constant.

Pois bem, após este contato, Penny consegue localizá-lo e o resgata junto com Jack, Kate, Sun, Sayid, Hurley e Aaron. De volta à realidade, Penny e Desmond vão viver juntos, tem um filho (Charlie) e são felizes até que a ilha resolve interferir com a vida deles de novo e Desmond é levado de volta para lá por Widmore.

Eu realmente torço por um final feliz para eles. Depois de tanto sofrimento, eles merecem.

 

Sun e Jin

O casal coreano começou mal na série. Quando o avião caiu, Sun estava lidando com um marido autoritário e tentava fugir dele. No entanto, antes de todo o drama da ilha acontecer, Jin era apenas um filho de pescador e Sun era herdeira de uma fortuna, já que seu pai era dono de uma multinacional (e assassino nas horas vagas). Eles se conheceram, se apaixonaram e resolveram se casar. Depois do casamento, Jin começa a trabalhar para o pai de Sun, que o manda fazer o trabalho sujo da empresa (matar e/ou dar porrada em pessoas que desafiam o Sr. Paik.

Na ilha, as coisas aos poucos vão se ajeitando para os dois – lógico que com muitos altos e baixos e situações perigosas. Mas na segunda temporada, Sun descobre que está grávida e por isso, quando o cargueiro de Widmore supostamente os resgata, ela é uma das primeiras a bordo com Jin. Só que quando o cargueiro explode, Jin fica para atrás e Sun acredita que ele está morto. Após o resgate, Sun se torna sócia da empresa do pai e tem uma filha: Ji Yeon.

Na 5ª temporada, Sun volta à ilha (depois que Ben lhe diz que Jin está vivo). Depois de muitos desencontros, com direito a viagens no tempo, bombas de hidrogênio explodindo, entre outras coisas, Sun e Jin finalmente se reencontram na 6ª temporada. Mas foi apenas para morrerem juntos, pois quando os Losties tentam sair da ilha no submarino de Widmore, tudo dá errado quando uma bomba explode e Sun fica presa no sub que está rapidamente enchendo de água. A morte deles a la Titanic foi muito triste.

Charlie e Claire

O romance fofo da série ficou por conta do rockstar drogado Charlie Pace e a grávida australiana Claire Littleton. A história deles foi repleta de momentos bonitinhos, mas teve vida curta, pois Charlie se sacrificou para resgatá-los.

 

Jack e Kate

A eterna batalha entre jaters e skaters…

Eu sou skater assumida e realmente não suporto Jate. Aliás, acho que eles têm uma química equivalente a duas portas. Mas vou tentar deixar a minha animosidade de lado e contar um pouco da história deles.

Eles se conheceram depois da queda do avião, quando Kate ajudou a dar pontos no ferimento de Jack. Foram quatro temporadas de chove-não-molha (teve aquele beijo na segunda temporada que eu prefiro ignorar. A Kate saiu correndo depois. Desculpa, Jack, acho que você precisa treinar na laranja ou com o cubo de gelo mais um pouquinho, hein?) até que, após o resgate e absolvição de Kate, os dois começam um romance e até ficam noivos. No entanto, Kate não consegue esquecer Sawyer e também esconde de Jack o que Sawyer lhe pediu para fazer antes de pular do helicóptero. O bom doutor (a essa altura bêbado e viciado em remédios) não suporta a barra e Kate o expulsa de casa.

Na 5ª temporada eles voltam para a ilha e as coisas estão meio indefinidas entre eles. Eu realmente espero que eles NÃO terminem juntos. Sorry, Jaters.

 

Kate e Sawyer

Eu posso ficar um dia inteiro listando todos os motivos porque eles são o melhor casal e porque a Kate deve ficar com o Sawyer. Mas podem ficar tranqüilos, eu não vou submeter vocês a esta tortura.

Acho que o que faz este casal funcionar – além das coisas em comum, infância ruim, histórias trágicas e vida no crime – é a química absurda que a Evangeline Lilly e o Josh Holloway tem. É simples assim. Talvez se fossem atores diferentes, Sawyer e Kate não teriam tanto appeal assim.

Mas enfim, tudo começa na primeira temporada, quando Sawyer chantageia Kate e diz que só vai devolver o remédio de Shannon se ela der um beijo nele. A partir daí, eles ficam naquele vai-não-vai, com aquele clima sempre presente. Nesse meio tempo, eles desenvolvem uma amizade bem legal até por terem histórias parecidas. Finalmente na terceira temporada, quando são seqüestrados pelos Outros, eles ficam juntos. Daí quando você pensa que a Kate finalmente fez a sua escolha, eles brigam daí se pegam de novo, brigam novamente, se pegam e ficam nesse vai e volta até o Sawyer pular do helicóptero para salvar todo mundo.

Aí a Kate é resgatada e o Sawyer fica na ilha. Kate fica com Jack e Sawyer fica com a Juliet até que os Oceanic 6 (menos o Aaron) voltam à ilha e acontece aquele drama todo, a bomba explode, a Juliet morre, Sawyer fica deprimido, enfim… Agora está tudo meio indefinido, mas eu acho que as coisas caminham para um final com eles juntos. Mas isso também pode ser apenas o meu lado skater falando.

Enfim, eu sei que existem muitos outros casais, como Rose e Bernard, Hurley e Libby, até mesmo Sawyer e Juliet, mas acho que eu coloquei os principais aqui. Quais são seus preferidos?

@lucianamangas

Anúncios

Novamente, eu não sei por onde começar. Claro que minhas expectativas já estavam lá no alto antes de assistir ao episódio desta semana, intitulado Happily Ever After, por ser um Desmond-centric (os dois anteriores The Constant e Flashes Before Your Eyes estão entre os melhores da série) e realmente este não decepcionou. Foi tão absurdamente sensacional que eu fiquei olhando para a tela do computador durante uns cinco minutos depois que o episódio acabou com o sorriso mais besta no rosto.

O episódio em si é quase como se fosse um flashsideways gigante, então vou contar o que aconteceu na ilha rapidinho antes de começar a análise da parte mais importante.

Desmond acorda e Charles Widmore lhe conta que ele foi levado de volta para a ilha para fazer algo muito, muito importante e que se ele não fizer todos, inclusive a Penny e o pequeno Charlie deixarão de existir. Des, é claro, surta e ataca Widmore, mas logo é contido pelos seus capangas. Widmore diz a Zoe que irá fazer o teste logo e que é para ela levar o Jin para lá para que o coreano entenda o que está acontecendo.

O teste que eles estão querendo fazer no Desmond nada mais é do que encher o pobre de energia eletromagnética. Caso ele sobreviva – como Widmore espera que seja o caso – Des será essencial para salvar a todos.

Pois então, Desmond desmaia e a próxima cena que vemos é ele no aeroporto pegando as malas. Nesta realidade, nosso querido escocês tem a vida perfeita: um ótimo trabalho, muito dinheiro e viaja o mundo inteiro. Tudo isso por ser o braço direito de ninguém menos que Charles Widmore. E eles se adoram aparentemente. A cena dos dois se cumprimentando e tomando whisky juntos como velhos amigos é BIZARRA.

Widmore tem uma missão para Desmond. Seu filho Daniel (!!!) é músico e fará uma apresentação com a banda Drive Shaft em um baile beneficente que a Sra. Widmore está organizando. No entanto, o baixista da banda, Charlie Pace, foi preso por posse de heroína e Widmore precisa que Desmond vá buscá-lo na prisão e fique de babá até o show.

Charlie, no entanto, vem com um papo super estranho. Ele conta que quando ele estava para morrer no avião após ter se engasgado com a heroína, ele viu o amor. E não foi qualquer amor, não. Foi aquele de pirar a cabeça e ele apareceu na forma de uma mulher loira linda e ele sabia que eles estavam juntos e tudo era lindo… até que um idiota o salvou e ele acordou. Mas o que importa é que Charlie sentiu que as coisas podem ser diferentes de alguma forma.

Desmond obviamente acha que ele está louco e o ignora até que, no trajeto para o hotel, Charlie assume a direção do carro e os joga no mar (aquilo era uma baía ou algo do tipo, né?). Quando Desmond está tentando tirar Charlie do carro submerso, de repente tem uma visão da inesquecível última cena do Charlie na terceira temporada, quando o roqueiro escreveu em sua mão Not Penny’s boat (Não é o barco da Penny). Foi brilhante. Eu admito que tomei um susto na hora e foi justamente neste momento que o episódio que já estava ótimo passou a ser SENSASIONAL para mim.

Os dois são levados para o hospital e durante uma ressonância magnética, Desmond tem várias visões de sua vida com a Penny e entra em pânico, interrompendo o exame. No saguão do hospital, ele encontra com Jack e pede ajuda para encontrar Charlie, que não é necessária, pois o roqueiro surge do nada, tentando fugir do hospital. Quando Des alcança o Charlie, ele pede para ver suas mãos, constatando que o que ele teve foi realmente uma visão. Charlie, no entanto, fica animado que Desmond também sentiu o que ele havia sentido no avião e o incentiva a procurar Penny.

Aí chegamos à parte crítica e essencial do episódio. Widmore manda Desmond ir falar pessoalmente com a Sra. Widmore sobre o cancelamento do show. Lá ele encontra Eloise Widmore. Eu tive uma impressão muito absurda de que ela já sabia quem ele era antes de ele se apresentar.

Ela o despachá-lo sutilmente, dizendo que não tinha nenhum problema que o show havia sido cancelado, e Desmond caminha em direção à saída. Só que quando ele passa por um grupo que estava conferindo a lista de convidados, ele escuta o nome da Penny e pede para ver a lista. Eloise, que estava por perto, surta e diz que ele não pode ver a lista de jeito nenhum e que ele deve parar de procurar o que ele está procurando, pois isto é uma violação. Eloise afirma ainda que Desmond já tem aquilo que ele sempre buscou – a aprovação de Widmore. Quando Desmond como que ela sabe o que ele está procurando, ela diz que apenas sabe e que ele ainda não está pronto.

Desmond vai embora confuso – assim como todos nós estávamos a esta altura – mas é interrompido por Daniel, que lhe pergunta se ele acredita em amor à primeira vista. Des fica mais confuso ainda e Daniel lhe conta que viu uma mulher ruiva em um museu há poucas semanas e sentiu como se ele já amava há muito tempo. Nesta mesma noite, ele acordou e escreveu uma equação absurdamente complexa em seu caderno. Sendo músico, Daniel obviamente não sabia do que se tratava, mas um amigo da área lhe explicou que era uma equação de mecânica quântica, que apenas quem havia estudado física a vida inteira teria condições de pensar. Dan, então, pergunta se talvez esta realidade que eles estão vivendo não é a certa. E se eles fizeram algo para mudar radicalmente?

Aí quando nosso cérebro está prestes a implodir de tanta informação, Daniel explica toda aquela história da temporada passada, da liberação de uma enorme quantidade de energia, da bomba atômica e tudo mais. Desmond pergunta se ele quer explodir uma bomba atômica. Daniel diz que não. Ele acha que a bomba já explodiu. Aí quando a nossa cabeça e a do Desmond está girando, Daniel diz que sabe onde e quando ele pode encontrar a Penny.

E adivinha onde ele a encontra? Naquele estádio onde ele encontrou com Jack há não sei quantos anos atrás. Só que desta vez quem está treinando é a Penny. Ele se apresenta, eles trocam um aperto de mão e nós voltamos para a ilha. Desmond acorda com um sorriso bobo no rosto e diz a Widmore que está de acordo com a missão de salvar o mundo. Quando ele está sendo levado para outro lugar, eis que Sayid/Chuck Norris aparece, mata todos, manda a Zoe correr e seqüestra o Desmond, que vai por livre e espontânea vontade, ainda com aquele sorriso bobo.

Aí quando você pensa que o episódio acabou, não acabou, nãããão! Nós voltamos para a realidade alternativa e descobrimos que Desmond desmaiou ao apertar a mão de Penny. Rola aquele clima e eles combinam de se encontrar em uma hora para um café. Des volta todo sorridente para o carro e pede ao seu motorista – George Minkowski, o oficial de comunicações do barco do Widmore na quarta temporada, lembram? – a lista de passageiros do vôo da Oceanic. Quando George pergunta para que ele quer esta lista, Desmond diz que precisa lhes mostrar uma coisa.

LOST

Vamos todos concordar que o episódio foi EPIC? As realidades estão se misturando e eu tinha certeza que quem ia dar esse passo de mostrar para todos era o Desmond. Sabem por quê? O Daniel falou que as regras não se aplicam a ele. Eu não sei como que vai ser nos próximos episódios, mas que esta reta final está prometendo, ah isso tá!

Outra coisa, foi confirmado que este episódio revelou o tema da série: o amor. Cafona ou brilhante? O que vocês acham?


Blog Tudo.ao.mesmo.tempo.agora

Categorias

Mais Avaliados

Blog Stats

  • 29,752 hits